É POSSÍVEL
E IMPORTANTE,
ESTARMOS
PRESENTES
NESTE MOMENTO_

Olá,
Se você chegou até aqui, provavelmente perdeu uma pessoa querida recentemente ou pretende ajudar alguém neste processo de elaboração do luto.

Então, antes de mais nada:
nós sentimos muito pela sua dor.

Vamos começar!

É POSSÍVEL
E IMPORTANTE,
ESTARMOS
PRESENTES
NESTE MOMENTO_

Olá,
Se você chegou até aqui, provavelmente perdeu uma pessoa querida recentemente ou pretende ajudar alguém neste processo de elaboração do luto.

Então, antes de mais nada:
nós sentimos muito pela sua dor.

Vamos começar!

É POSSÍVEL
E IMPORTANTE,
ESTARMOS PRESENTES
NESTE MOMENTO_

Olá,
Se você chegou até aqui, provavelmente perdeu uma pessoa querida recentemente ou pretende ajudar alguém neste processo de elaboração do luto.
Então, antes de mais nada:
nós sentimos muito pela sua dor.

Vamos começar!

“Todo luto é um deserto que precisamos atravessar”
Rodrigo Luz_Presidente da Fundação Elizabeth Kubler Ross Brasil

O QUE FAZEMOS

Estamos aqui para te ajudar na elaboração de uma nova forma de “ritualizar” este momento e garantir que a despedida aconteça de um jeito muito significativo.

Sabendo da importância dos rituais de despedida no processo de elaboração do luto, reunimos vários profissionais gabaritados, que já vêm se debruçando, estudando, escrevendo e falando sobre terminalidade e luto para criar este guia pra você.

A IMPORTÂNCIA DOS RITUAIS DE DESPEDIDA_

QUEM DEVE ORGANIZAR?

Existem dois núcleos mais impactados no luto: o Núcleo Familiar (pai, mãe e filhos) e o Núcleo Familiar Estendido (tios, primos, padrinhos, parentes e amigos próximos).

As pessoas do Núcleo Estendido provavelmente são as que estarão com mais condições emocionais e cognitivas para liderar este processo. Nós sugerimos que duas ou três pessoas envolvidas na organização, mas mesmo assim é muito importante que o Núcleo Familiar seja envolvido e ouvido em todas as decisões importantes. É fundamental saber respeitar os limites da dor do(s) enlutados(s).

Se a crise está acontecendo com você, você está no centro do círculo.⁣ Se a crise não está acontecendo com você, você está em um dos círculos externos.⁣

Este post talvez te ajude a entender melhor isso.
Clique aqui.

O GUIA

O cenário atual veio nos furtar não só as pessoas que amamos, mas também os rituais de despedida. Queremos te propor um jeito de rescrever os rituais que te ajude a transitar e integrar esta nova realidade. Não temos uma fórmula, mas temos um guia.

Talvez a pior parte da perda de alguém querido seja o momento da despedida. Mas, por mais doloridos que sejam os processos dessa perda, todos são rituais importantes e necessários que fazem parte da elaboração no nosso luto.

Este guia fala sobre a importância desses rituais, mostra novas possibilidades de realização de cerimônia, oferece um passo a passo e acesso a uma rede importante de profissionais. Será possível então substituir o ritual presencial? Talvez substituir não seja a palavra certa, mas acreditamos que seja possível criar algo novo e bastante significativo que ajude a assimilar estes sentimentos e elaborar o luto.

“O que antes pudesse parecer ofensivo ou desrespeitoso como fazer uma live de um velório ou de um enterro, hoje é visto como um ato de cuidado, de conexão. O mundo virtual antes era visto como afastamento, pela possibilidade do encontro presencial. Como hoje isso não é possível, os encontros virtuais representam conexão, presença e intimidade. Houve uma mudança de códigos”.

Tom Almeida

O QUE TEMOS APRENDIDO COM O GUIA DE RITUAIS VIRTUAIS?

É atemporal. Pode ser feito a qualquer momento do luto e quantas vezes for necessário.

É atemporal. Pode ser feito a qualquer momento do luto e quantas vezes for necessário.

Permite momentos diferentes de elaboração do luto. Depois de um tempo o enlutado estará mais organizado cognitiva e emocionalmente e poderá aproveitar os efeitos psicossociais e psicoemocionais deste encontro.

Mesmo virtualmente, a cerimônia ajuda a organizar a
experiência, manter o vínculo e compartilhar
o sofrimento

Ao promover um ritual virtual, é possível fazer a gravação do encontro, o que oferece a família a oportunidade de rever a cerimônia. Revisitar o ritual é uma forma de aliviar esta angústia.

Possibilidade da gravação do encontro – a família poderá rever a cerimônia. Revisitar o ritual é uma forma de aliviar esta angústia.

Permite momentos diferentes de elaboração do luto. Depois de um tempo o enlutado estará mais organizado
cognitiva e emocionalmente e poderá aproveitar os
efeitos benéficos deste encontro.

Um ritual virtual permite que pessoas que estão fisicamente distantes também estejam presentes.

Um ritual virtual permite a participação dos que estão fisicamente distantes.

Os enlutados têm a possibilidade de construir
rituais personalizados, que façam sentido para a família.

GUIA VIRTUAL DE DESPEDIDAS VIRTUAIS

Existem 03 formatos para explorar este Guia:

CRIE SEU RITUAL_

Aqui você tem acesso aos 04 passos para organizar a cerimônia. São linhas mestras escritas para te auxiliar neste processo.

ACESSE

MANUAL SUPORTE AVANÇADO_

Aqui você encontra todos os passos bem detalhados e aprofundados, com espaços, itens e idéias para a personalização da cerimônia.

CONTRATE

CONTRATE UM PROFISSIONAL_

Nós temos uma rede de profissionais que podem auxiliá-lo neste momento tão crítico. Os serviços são contratados separadamente, conforme a sua necessidade.

CONTRATE

QUEM FAZ

Movimento Infinito.etc

Somos um Movimento que nasceu para inspirar as pessoas a refletirem sobre a sua MORTE e de seus entes queridos e a se engajar na criação de um novo jeito de vivê-la. A nossa missão é promover conversas sinceras sobre viver e morrer. Acreditamos que, ao tomar consciência da finitude, pode-se viver com integridade na saúde, na doença, na morte e no luto.
Nos unimos a importantes iniciativas globais na construção de uma nova cultura que apoie esta nova forma de viver a morte.

Tom Almeida

Fundador do Movimento inFINITO

Apoio:

Instituto Olga Rabinovich

Parceiros:

A vulnerabilidade promove conexão com o que não finda, nem com a morte.

“Vivi 3 mortes importantes em 3 anos seguidos… da minha mãe, do meu primo e do meu pai. Três experiências completamente diferentes que foram verdadeiros pontos de virada na minha vida.

Entendi que muito do sofrimento está diretamente relacionado a como vivemos o processo de morrer, no íntimo e socialmente, e que é preciso e possível melhorar muito! Decidi criar o Movimento inFINITO e colocar o Brasil no time de iniciativas globais que trabalham para melhorar a maneira como vivemos a experiência de morrer.

Desde que fundei o movimento inFINITO criamos diversas atividades e encontros com milhares de pessoas para falar sobre o tema. Atualmente sou colunista do Podcast Finitude, faço o Curso de Especialização em Luto no Instituto Quatro Estações de Psicologia e aprendi a importância e a urgência de criar uma nova alternativa para os rituais de despedida para este momento de pandemia”.

PARCEIROS

DEPOIMENTOS

“Perdemos recentemente um tio muito querido. O judaísmo tem um costume de realizar rezas diárias durante a primeira semana do luto (chama-se shivá). O que está por detrás dessa aparente obrigação ritualística é justamente fazer com que os enlutados sintam-se acompanhados e abraçados durante os primeiros dias, quando o luto e a dor são mais intensos. Acompanhar e abraçar foi justamente o que não pudemos fazer nestes tempos de Coronavírus.

Diante dessa situação decidimos em família realizar um encontro virtual. Os encontros foram muito potentes e importantes para todos. Fez-nos bem estar ali, conectados, celebrando a vida do meu tio, nos emocionamos, rimos e honramos a sua memória. Fiquei em paz e orgulhoso de ter feito parte desta bonita, sincera e singela homenagem ao meu tio.”

Ale Edelstein, São Paulo, SP

“Fizemos nossa reunião familiar virtual para celebrar as memórias de alguns entes queridos que partiram nos últimos anos. A ideia surgiu após o
falecimento do meu avô, em meio à pandemia. Organizar a reunião foi muito terapêutico. A aproximação com meus familiares começou logo nos convites, quando telefonei para cada um e pude conversar com todos por alguns minutos, deixando de lado a “correria de sempre”. No dia da reunião, alguns familiares trouxeram fotos antigas, vídeos e textos, demos boas risadas e nos emocionamos – foi o nosso primeiro grande passo para aliviar o desconforto que a morte traz.

Recomendo (a cerimônia virtual) a todos os que passaram ou estão passando por perdas difíceis e procuram uma cura que possa ser compartilhada. Conversar e dividir memórias permite reviver momentos bons, enxergar beleza mesmo na dor: o resultado é uma sensação de organização interna e gratidão.”

Julia Messina, Campinas, SP

“Perder uma pessoa que amo num contexto de isolamento social foi algo que me deixou muito mais abalada do que talvez deixaria se fosse antes da pandemia. Moro em Curitiba e no momento que tive a notícia da morte da minha vó, que residia no interior de São Paulo, uma das minhas maiores preocupações era saber se conseguiria participar do velório.

Após muita reflexão, optei por acompanhar o velório e enterro via redes sociais, por vídeos e fotos. Apesar da distância e de parecer estranho, me senti muito conectada com minha família. Foi fundamental para o meu bem estar, pois me senti muito acolhida, pude compartilhar meus sentimentos e conhecer outras pessoas que estavam passando por uma situação semelhante à minha.”

Marinete Franco, Curitiba, PR